google-site-verification=lRHEWCH_lhUcC3jfPGqtqzJYWrTKG3-D4icy5WBVWXU

Miso Music Portugal

Orquestra de Altifalantes

A Orquestra de Altifalantes da Miso Music Portugal é um sistema pioneiro em Portugal para a projeção sonora, especialmente destinado à música eletroacústica, com ou sem a participação de instrumentistas.
O principal objetivo é introduzir a interpretação na execução da música eletroacústica e, também, ritualizar o ato do concerto, permitindo a comunicação expressiva com o público.

A Orquestra de Altifalantes da Miso Music Portugal é um sistema que compreende um total de cerca de 50 altifalantes, colocados por todo o espaço da sala de concertos, distribuídos horizontal e verticalmente, de forma a permitir controlar em tempo real 32 altifalantes ou grupos de altifalantes, e que é especialmente configurado para cada obra.
Além da intervenção em tempo real de um intérprete/maestro, é também possível automatizar todos os movimentos espaciais e variações por meio de um computador.

 

Trio de Jazz

Luís Filipe Martins (contrabaixo) | Luís Barrigas (teclas) | Jorge Moniz (bateria)

Jorge Moniz, ao longo da atividade como músico profissional, tem trabalhado com agrupamentos que vão desde a música erudita até às áreas do rock, blues, bossa nova, samba (nomeadamente com os músicos Sílvia Nazário e Cláudio Kumar, no projeto "Bossa e outras novas") e, principalmente, ao jazz. Luís Filipe Martins, contrabaixista em vários projetos musicais, terminou a licenciatura em jazz e criou um curso livre neste estilo musical na Academia Luísa Todi. Luís Barrigas, após licenciatura em Educação Musical, inicia, em 2006, vários projetos de jazz, do qual se destaca o seu trio com temas originais. Conclui o curso superior de jazz na E.S.M.L., com João Paulo Esteves da Silva, em 2013.

Luis_Filipe_Martins.jpg
Jorge_Moniz.jpg
Luis_Barrigas.jpg
Trio Jazz
 

Saturnia

Luís Simões

Saturnia é uma criação do multi-instrumentista e produtor Luís Simões na guitarra, sitar indiano, theremin, gongo, bass pedals, orgão, sintetizador, piano elétrico, mellotron e voz. Formado em meados dos anos 90 por Luís Simões, com a ideia de criar uma banda comunal, Saturnia acabou por se transformar numa one-man band de estúdio, fazendo raras aparicões ao vivo, consistindo de Simões e um convidado – sendo destes o mais notável Francisco Rebelo, Orelha Negra. A sua estreia ao vivo acontece na “Hora do Lobo ao vivo”, de António Sérgio.

 

Space Ensemble

É uma formação orgânica e mutante que se baseia na exploração das cumplicidades entre os músicos envolvidos, testando e variando as combinações instrumentais e estilísticas de acordo com os locais e o contexto dos eventos.
Um processo de exploração que se desenvolveu ao longo das várias edições do Festival Space (dedicado à música improvisada que decorreu entre 1999 e 2005) e que acabou por ser a base de preparação de inúmeros projetos que desde então percorreram as principais salas de Portugal.
Nos seus espetáculos cruzam várias vertentes artísticas, trabalhando, essencialmente, o formato filme-concerto. Apostam na produção de espetáculos para toda a família e com um caráter de serviço educativo, tendo já abordado temas como a Matemática, o Ambiente ou a memória coletiva de alguns territórios.

 

Caterina Palazzi

Caterina Palazzi é natural de Roma. É também compositora e líder da banda Sudoku Killer, com sonoridades jazz/noise/psychedelic. Caterina ganhou em 2010 o Jazzit Award para melhor compositora italiana e os Sudoku Killer foram premiados com o segundo melhor álbum italiano. Entre 2010 e 2015, foi considerada a melhor “New Talent”, arrecadando o prémio “Top Jazz” pela importante revista italiana Musica Jazz Magazine.
Caterina Palazzi, apresenta-nos "Zaleska", um projeto mais denso e obscuro, onde linhas melódicas são misturadas com momentos dissonantes e ruidosos, criando uma espécie de orquestra funerária solitária. Cada composição musical é inspirada em cada um dos atores que, ao longo dos anos, personificaram Drácula no cinema.

 
Goncalo_Simoes_edited.jpg

Gonçalo Simões

Nasceu em Setúbal, onde iniciou os estudos musicais na Academia de Música e Belas-Artes Luísa Todi. Estudou particularmente com o professor António Menéres Barbosa, antes de ser admitido na Escola Superior de Música de Lisboa, na Licenciatura em Piano, sob a orientação dos professores Jorge Moyano e Olga Prats na disciplina de Piano, e Fernando Fontes, em Música de Câmara. Após a conclusão da licenciatura, foi convidado pela Escola Superior de Música de Lisboa para exercer trabalho como Pianista Acompanhador, tarefa que desempenhou até ao final do ano de 2010.
Participou em diversas marterclasses e cursos de aperfeiçoamento na área de piano com os professores Irina Vinogradova, Jörg Dëmus, Vitaly Margulis, Jura Margulis, Luiz de Moura Castro, Manuela Gouveia, Helena Sá e Costa e Ralf Nattkemper, na área de música de câmara com cordas com os professores Avedis Kouyoumdjian, Agne Stepina e Jiri Tomasek e, na área de música de câmara com voz, com os professores Jeanette Fávaro-Reuter e Walter Moore. Em 2019 foi convidado para compor a compor e tocar ao vivo a banda sonora para o filme "Shoes", na primeira edição do Film Fest.

 
Bruno Teixeira Trio

Bruno Teixeira Trio

Bruno Teixeira (handpan) | Sunil Pariyar (flauta de bambu) | Cheong Li (erhu)

Bruno Teixeira

Compositor | Multi-instrumentista | Musicoterapeuta

Bruno começou a praticar ioga enquanto estudava antropologia na Universidade do Porto, em 1997. Desde então, tem partilhado o seu conhecimento através de aulas, workshops, kirtan, sat-sangha e retiros. Aos vinte anos de idade, começou a tocar didgeridoo, percussão e a praticar mantra, sentindo uma transformação pessoal através do som e da música. Em 2004, Bruno fundou o PazPazes – Organismo Multidisciplinar de Cooperação, Formação e Desenvolvimento Humano. No departamento de música, desenvolveu a Didgeridoo Triboo Club School, em 2006, e o Handpan House Club School, em 2015, dos primeiros em Portugal.

Sunil Pariyar

Instrumentista | Flautas de Bambu

Natural do Nepal, a bela terra dos Himalaias, e com as flautas de bambu para partilhar. É conhecido pela música para meditação, que tem tocado em Lisboa, cidade onde mora e frequentemente dá concertos. Com uma sólida formação em música clássica, desenvolvida no Nepal e na Índia, trabalha como instrutor de flauta de bambu, dando aulas particulares em Lisboa. O repertório abrange uma grande diversidade de géneros musicais, desde a música clássica da Índia até ao jazz, passando pela world fusion music. Obteve o Senior Diploma Certificate em Música Clássica Indiana, pela Universidade de Allahabad (Índia). Em Lisboa, toca com diversos músicos e bandas nacionais.

Cheong Li

Instrumentista | Erhu

Cheong Li nasceu em Macau e cresceu em Hong Kong. Formou-se na Universidade Chinesa, de Hong Kong, com um BA, em 2002, e Mestre em Música (Composição), em 2004. Aprendeu erhu (violino chinês com duas cordas) com a Hsin Hsiao-ling. Depois de trabalhar como professor de música e compositor freelancer alguns anos, aprofundou os estudos na Universidade de York e obteve doutoramento em Música (Composição), em 2014, sob a supervisão do professor Roger Marsh. As suas composições foram executadas pela Orquestra Chinesa de Hong Kong, Orquestra Filarmónica de Hong Kong, Windpipe Chinese Music Ensemble, entre outras. Como artista erhu, está particularmente interessado em improvisação e música de mundo, apresentando-se, no últimos anos, em Portugal, Reino Unido, Itália e Chipre.

 
  • Facebook Município de Setúbal
  • Instagram Film Fest

©2020 Film Fest

Câmara Municipal de Setúbal

Trio Jazz