google-site-verification=lRHEWCH_lhUcC3jfPGqtqzJYWrTKG3-D4icy5WBVWXU
top of page
Mulheres Desagradáveis

AS PRIMEIRAS MULHERES "DESAGRADÁVEIS" NO CINEMA

Sessão Dupla

21 outubro . 21h30 . Cinema Charlot – Auditório Municipal 

RAINHAS DAS DESTRUIÇÃO

 

"O Infortúnio de Mary Jane"  (UK, 1903, 4 min)

"Rosalie e o seu fonógrafo" (FR, 1911, 4 min)

"Onésime e o traje da Sra. Badinois"  (FR, 1912, 8 min)

"As mudanças de Rosalie" (FR, 1911, 6 min)

"Zoé e o guarda-chuva miraculoso" (FR, 1913, 4 min)

"Gás Hilariante" (USA, 1907, 7 min)

"Brevete para ventilador" (FR, 1911, 4 min)

música e musicado ao vivo  Violeta Azevedo e Bertrand Bertrand

cópias Kino Lorber

TU NÃO MANDAS EM MIM

 

"A festa da Tilly"  (UK, 1911, 7 min)

"A greve das amas"  (FR, 1907, 12 min)

"As caretas de Daisy" (UK, 1914, 8 min)

"Cunégonde, mulher malvada" (FR, 1912, 9 min)

"Vitória com os nervos à flor da pele" (FR, 1907, 3 min)

música e musicado ao vivo

deScomposição Transitória Ambulante (Maria do Mar e Felice Furioso)

cópias Kino Lorber

Tilly
Gás Hilariante
Rosalie e o fotógrafo
Mary Jane
Onésime
Guarda-chuva

Conheça as mulheres mais hilariantes, desafiadoras, voláteis, rebeldes e casmurras do cinema mudo, que surgiram nos écrans muito antes de Keaton e Chaplin e celebre as suas fabulosas aventuras.

 

Desde que Donald Trump interrompeu Hillary Clinton durante um debate presidencial em 2016, o termo “mulheres desagradáveis” (“Nasty Women”) tornou-se grito de guerra feminista global.

 

Há, no entanto, uma longa e robusta história de mulheres celebrando sua própria “desagradabilidade” ao dizerem as verdades ao poder patriarcal.

 

Os 12 filmes, produzidos entre 1903-1913, são maioritariamente comédias com papéis principais para mulheres, mostrando que as heroínas cinematográficas nem sempre foram belas e submissas.

VIOLETA AZEVEDO

O universo de Violeta Azevedo faz-se de experimentação, composição e improvisação.

 

Utilizando a flauta transversal como instrumento principal, e através da sua orquestra de pedais eletrónicos, em conjunto com a flauta e a voz, cria mundos de surrealismo sonoro.

 

Além de integrar o grupo Septeto Interregional, trabalhou assiduamente com Aurora Pinho, Salim, Filipe Sambado, Haraem, Jasmim e Savage Ohms.

 

Para  esta edição do Film Fest, Violeta Azevedo convida Bertrand Bertrand, músico e performer fundador do projeto Menino da Mãe.

Violeta Azevedo

MARIA DO MAR

Maria do Mar

Maria do Mar de Brito Lopes é uma violonista, compositora, professora e ativista residente em Lisboa.

 

Maria explora formas alternativas de ensino, participa em projetos experimentais de improvisação de música e performance, participando também em programação, curadoria e ativismo político.

 

Atuou com vários artistas nacionais e internacionais e participou em festivais como o MIA, Creative Fest Lisbon & Berlim, Jazz no Parque de Serralves, BCN ImproFest, Festival Urogallo, em Léon, entre outros.

 

Toca em vários projetos musicais como os Lantana, Duo Suprasónico, Mayuhma, Xentra, Fungaguinhos.

 

Em 2019, viu o seu trabalho ser reconhecido com a nomeação "Best Portuguese Musician or Band" na Jazz.pt.

bottom of page