google-site-verification=lRHEWCH_lhUcC3jfPGqtqzJYWrTKG3-D4icy5WBVWXU

MULHERES PIONEIRAS | SESSÕES ESCOLARES

LOTTE REINIGER

(1899-1981)

Desde cedo na infância Reiniger demonstrou, quer o seu fascínio pela arte chinesa do teatro de sombras, quer a sua criatividade e mestria, ao construir o seu próprio teatro de fantoches para que pudesse apresentar espetáculos para a família e amigos.

Na adolescência foi influenciada pelos efeitos especiais dos filmes de Méliès e, posteriormente, pelos filmes do ator e realizador Paul Wegener, hoje mais conhecido pela sua obra “O Golem” (1920). Em 1915, participa numa palestra de Wegener sobre as possibilidades fantásticas da animação, ficando então fascinada com esta arte, e inscreve-se no grupo de teatro – o Teatro de Max Reinhardt – ao qual Wegener pertencia. Começa a trabalhar nos bastidores, fazendo figurinos e adereços, além de retratos de silhueta dos vários atores à sua volta.


Em pouco tempo passou a fazer elaborados cartões de título ou intertítulos para os filmes de Wegener, nomeadamente para o filme “Der Rattenfänger von Hamelin” (O Flautista de Hamelin). O êxito desta obra fez com que fosse aceite no Institut für Kulturforschung (Instituto de Pesquisa Cultural), um estúdio de animação experimental e de curtas-metragens. Aí conhece o seu futuro marido e parceiro criativo Carl Koch, bem como outros artistas de vanguarda, incluindo Hans Cürlis, Bertolt Brecht e Bertold Bartosch.

Através da técnica de silhuetas articuladas, a realizadora produziu mais de 70 filmes de animação, a maior parte dos quais se encontram perdidos. As marionetas dos seus filmes foram recortadas e manipuladas à luz da câmara por ela própria.


Além do cinema, Reiniger desenhou cenários e guarda-roupa para produções de ópera, encenou espetáculos de marionetas e teatro de sombras, ilustrou livros, jornais e revistas. Com base no espólio que deixou, confirma-se uma artista talentosa com trabalhos de pintura a tinta e aguarela, bem como escritora e poetisa. Deu frequentemente palestras sobre os processos de animação e história do cinema experimental.
(Institute F. Murnau | Tradução Legendários)

 

Lotte Reiniger | 14.10 | 14h30

Fórum Municipal Luísa Todi​

Musicado por Space Ensemble

Narração pelo TAS – Teatro Animação de Setúbal

 
As Aventuras do Príncipe Achmed
As Aventuras do Príncipe Achmed
As Aventuras do Príncipe Achmed
As Aventuras do Príncipe Achmed

"As Aventuras do Príncipe Achmed"

Alemanha | 1926 | 81'

Quando “As Aventuras do Príncipe Achmed” estreou-se na Alemanha, em 1926, foi aclamado como o primeiro filme de animação de longa-metragem.


Mais de noventa anos depois, este filme encantador ainda permanece como um dos grandes clássicos da animação – belo, fascinante e totalmente sedutor.


Retirado de “As Mil e uma Noites”, o filme conta a história de um feiticeiro malévolo que leva o príncipe Achmed a montar um cavalo voador mágico e o envia num voo com morte certa, mas o príncipe frustra o plano do feiticeiro e voa ao encontro de uma série de maravilhosas aventuras.


As figuras do filme, repleto de batalhas, comédia, romance, magia e confrontos com pequenos demónios, foram recortadas e manipuladas à luz da câmara pela realizadora.

FICHA TÉCNICA

Titulo Original "Die Abenteuer des Prinzen Achmed" Argumento Lotte Reiniger, baseado nos contos “As 1001 Noites” Background Artists Walther Ruttmann, Berthold Bartosch Assistente de animação Alexander Kardan, Walther Türck Cinematografia Carl Koch Produção Comenius-Film Production Música Space Ensemble
Narração TAS – Teatro Animação de Setúbal

  • Facebook Município de Setúbal
  • Instagram Film Fest

©2020 Film Fest

Câmara Municipal de Setúbal

As Aventuras do Príncipe Achmed